Ecopontos

Para que a valorização dos resíduos produzidos seja possível é necessário que se faça a separação dos resíduos por fileira.

Os resíduos orgânicos, constituídos por alimentos, com exceção dos lacticínios, do peixe e da carne, e resíduos vegetais de jardins, devem ser encaminhados para compostagem. No Município ainda não existe recolha dedicada a este resíduo, pelo que se recomenda a realização da compostagem doméstica, sempre que seja possível.

A recolha seletiva de resíduos urbanos por proximidade é efetuada nos ecopontos/ilhas ecológicas. Estes equipamentos são disponibilizados para deposição de:

1)      Papel e cartão;

2)      Plástico e metal; e

3)      Vidro de embalagem.

O Município disponibiliza 268 ecopontos, distribuídos por todas as sedes de freguesia e em muitas das suas localidades.

Nas zonas de maior densidade populacional, no caso de Seia e São Romão, são disponibilizadas 35 ilhas ecológicas, com contentores subterrâneos de resíduos valorizáveis e indiferenciados.

Dez ilhas ecológicas instaladas em Seia estão acopladas com um sistema piloto PAYT (pay-as-you-throw). As ilhas estão otimizadas com tecnologia de controlo de acesso para utilizadores, com o objetivo de em breve implementar um sistema de taxação mais justo, premiando os cidadãos que mais reciclam.

 

As pilhas e o óleo alimentar, onde as devemos depositar?

Por vezes os ecopontos estão dotados de pilhão para recolha de pilhas e baterias. Os pilhões estão também disponíveis nos edifícios públicos – Câmara, Ludoteca, Biblioteca, entre outros.

É ainda possível depositar óleos alimentares usados (OAU) em oleões de rua. No concelho estão instalados 41 oleões, abrangendo todas as freguesias.

Os oleões estão dotados de tecnologia Internet of Things (IoT), o que permite aos munícipes consultar a sua localização e a capacidade atingida em tempo real, através de uma aplicação digital ou do website (www.reno.pt). O sistema inovador também permite a contabilização dos depósitos, e num futuro próximo possibilitará recompensar pela reciclagem deste resíduo.

Os oleões apresentam-se como uma solução mais eficaz e sustentável para a eliminação dos óleos alimentares usados, procurando ajudar a evitar que os óleos alimentares usados sejam erradamente depositados no esgoto urbano, afetando o funcionamento das Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s).

 

E, os outros resíduos?

Todos os resíduos referidos podem, também, ser entregues no ecocentro que recebe ainda madeiras, resíduos elétricos e eletrodomésticos (REE), resíduos de construção e demolição (RCD), resíduos de grandes dimensões (os denominados “monstros”), lâmpadas e vegetais.

O utilizador final doméstico pode, ainda, pedir uma recolha pontual de resíduos de embalagens, REE, “monstros”, verdes e RCD (provenientes de obras não sujeitas a licenciamento ou comunicação prévia) que, pela natureza, quantidade ou dimensão não podem ser depositados nos ecopontos.

A recolha é feita pela Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão e deve ser feita para o número de telefone 800 209 316.

Após formalização do pedido, a recolha é agendada para ser efetuada em local e dia acordado com o requerente.

 

Os resíduos depositados nos ecopontos e no ecocentro são recolhidos pela empresa que presta esse serviço à Associação Municípios da Região Planalto Beirão (AMRPB), que os encaminha para o seu centro de triagem em Tondela. Após o processo de triagem os materiais são enviados para os retomadores oficiais que os encaminham para reciclagem ou outro tipo de valorização.

Como entidade gestora o Município estabeleceu protocolos para a recolha de fluxos especiais de resíduos como: roupa usada (Sarah Trading), óleos de lubrificação e filtros de óleo (Correia&Correia), de OAU (Tratris, S.A.) e material de uso veterinário (Ambimed).