Visita aos trabalhos de Reabilitação dos Viveiros Florestais da Portela de Arão

13 | 12 | 2021

Os Secretários de Estado da Inovação e Modernização Administrativa, Fátima Fonseca, e da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino, visitam esta terça-feira, 14 de dezembro, o Viveiro Florestal da Portela do Arão.

A visita prende-se com a reabilitação, em curso, dos Viveiros Florestais de Seia e Gouveia, desenvolvida no âmbito do projeto “Floresta Viva” do OPP 2018 – Orçamento Participativo de Portugal, tendo em vista a reativação dos viveiros para produção de plantas e desenvolvimento de ações de educação ambiental.

A abertura da sessão de apresentação dos trabalhos de reabilitação dos viveiros florestais acontece pelas 10h, com a presença dos presidentes do Município de Seia, Luciano Ribeiro, e do Conselho Diretivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas – ICNF, Nuno Banza.

Seguem-se, posteriormente, as apresentações da proposta do projeto OPP 2018 – “Floresta Viva”, por Paulo Caetano, e dos trabalhos desenvolvidos no Viveiro de Folgosinho, pelo presidente do Município de Gouveia, Luís Tadeu.

Os Secretários de Estado encerram, às 10h45, a sessão, seguindo-se a visita ao Viveiro e apresentação dos trabalhos realizados pelo Município.

 

Construídos na década de 60, representam um elemento patrimonial relevante do Parque Natural da Serra da Estrela, tendo surgido no âmbito dos Planos de Povoamento Florestal encetados pelos Serviços Florestais.

A área de produção encontra-se instalada numa vertente exposta a poente, de declive acentuado, sendo formada por uma série de patamares armados em socalcos. Em funcionamento até meados da década de 90, os viveiros foram explorados para a produção de pseudotsuga, castanheiro e sobretudo pinheiro-bravo, entre outras espécies florestais.

Os viveiros encontram-se enquadrados por bosques de carvalhos, castanheiros e vidoeiros, que contrastam com a monotonia das matas de pinheiro-bravo resultantes das ações de rearborização de terrenos anteriormente ocupados por matos. A área caracteriza-se por possuir uma biodiversidade elevada, da qual se destaca a ocorrência de um considerável número de anfíbios.

No início do século XXI, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a Câmara Municipal de Seia protocolaram a reabilitação dos viveiros, tendo mais recentemente, no âmbito do OPP 2018 – Orçamento Participativo de Portugal, esse protocolo sido revisto, tendo em vista a sua reativação para produção de plantas e desenvolvimento de ações de educação ambiental.