Paranhos da Beira

Junta de Freguesia de Paranhos da Beira
Apartado 850
6270-907 Paranhos da Beira
Telefone: 238 976 974
E-mail: jfparanhos.beira@sapo.pt

Horário:
Segunda a Sexta-feira: 9h às 12:30h / 14h às 17:30h

Executivo
Presidente: Paulo Sérgio Monteiro Fernandes Coimbra

 

Situada a sudeste do Mondego, a uma altitude de 465 metros, Paranhos da Beira é uma freguesia com uma área de 21,01 km², 1 503 habitantes (2011) e uma densidade populacional de 71,5 hab/km².

A sua história remonta ao período da pré-história. Prova disso são um conjunto de seis antas existentes na freguesia, entre as quais se destaca a Casa dos Mouros ou Anta de Carvalhal da Louça, classificada como monumento de interesse nacional.

Foi uma das povoações que sofreu com as Invasões Francesas com atos de pilhagem, vandalismo, deixando a população na miséria.

Elevada a vila em 1989, a sua anterior designação de Paranhos passou a Paranhos da Beira. A freguesia é então composta pela vila de Paranhos e pelas aldeias de Carvalhal da Louça, Chaveiral e Vale de Igreja.

Paranhos da Beira e Carvalhal da Louça possuem uma tradição ancestral na arte da olaria artesanal em barro, dedicada à produção de utensílios para o uso doméstico, como a louça de conservação dos alimentos, e para as lides da agricultura (“lides do campo”).

Atualmente é possível visitar no antigo edifício da Escola Primária um Centro Museológico criado pelo Rancho Folclórico de Paranhos da Beira dedicado a esta obra.

 

Festas e Romarias

Paranhos:
Santa Eufémia – 2ª-feira a seguir à Páscoa
Festa da Vila de Paranhos – 2 de julho
Nossa Senhora do Calvário – 19 e 20 de agosto
Santa Eufêmia – 15 e 16 de setembro
Carvalhal da Louça:
São Marcos – 25 de abril
Santa Bárbara – segunda semana de agosto
Vale de Igreja:
Nossa Senhora da Conceição – 8 de dezembro
Chaveiral:
Nossa Senhora de Fátima – terceira semana de maio

 

Pontos de interesse

Igreja Paroquial: igreja de estilo tardo-barroco, provavelmente de origem medieval. Foi alvo de remodelações no final do século XVIII, início do século XIX. De planta retangular, é constituída por uma nave e uma capela-mor. A fachada principal luze azulejos azuis e brancos.

Capela de Nossa Senhora das Neves: datada de 1585, é uma imponente capela em granito. Hoje funciona somente como capela mortuária.

Santuário de Santa Eufémia: capela construída em pedra granítica de interior colorido, onde predominam o azul, o dourado e o salmão. No altar-mor predomina a talha dourada. Possui uma bela via sacra, com ilustrações da Paixão de Cristo em painéis de azulejo. Em lugar central, destaca-se uma plataforma encimada por uma torre sineira. Exteriormente, o santuário apresenta uma vasta área.

Solar de São Julião: com Capela dedicada a Nossa Senhora de La Salette; foi classificado de interesse público pelo IPPAR. Foi erguido no final do século XVII. Consta que se manteve sempre na posse dos descendentes da família que o fundou, os Amaral Cardoso. Foi restaurado em 1957.

Pelourinho: erguido no séc. XV.

Capela da Nossa Senhora da Conceição

Capela de S. Marcos

Ponte Romana

Galeria de Fotos