Município de Seia

 

ps       

     1ª Revisão ao PDM
pdm


 

arus 




sig

gae


canil 

 seia empreende


 

 

 

 

 

 medicamentosnatalidade

 

 

 

 

  blvs
 

 

 

 

 

 

rbems


     

Seia

 

Oppidum Sena, antiga cidade de Sena, hoje Seia, foi fundada há 2400 anos pelos Túrdulos. Durante muito tempo foi dominada pelos árabes, sendo definitivamente conquistada por D. Fernand

o Magno em 1055, que mandou edificar o seu castelo.

--------------------------------------------------------------

Monumentos 1

 

Capela de Santa Ana

Localização: Monte de Santa Ana (nas margens da estrada que liga Seia a Aldeia da Serra).
Época de Construção: 1901.
Cronologia:
1901 - O Dr. Amândio Eduardo da Mota Veiga manda edificar a Capela de Santa Ana.
Tipologia: Arquitectura religiosa.


Capela de Santo Cristo do Calvário

Localização: Rua 1º de Dezembro.
Utilização Inicial: Cultual (a capela constituía uma das estações da Procissão dos Passos).
Época de Construção: Final do Séc. XVI (suposição).
Cronologia:
Final do Séc. XVI - A Misericórdia começou a realizar procissões dos Passos da Via-sacra. A capela de Santo Cristo era uma estação obrigatória nestas procissões.
1786 - Existência de registos que comprovam a existência da capela nessa época.
1989 (cerca de) - Restauro da edificação.
Tipologia: Arquitectura religiosa com elementos interessantes a destacar, nomeadamente o tecto de caixotões com figurações dos quatro evangelistas e o altar constituído por pintura.

 

Monumentos 2

 

Capela de São Pedro

Localização: Largo da Misericórdia.
Protecção: MN, Dec. nº 9953, DG 171 de 31 de Julho de 1924.
Enquadramento: Urbano, isolado, quase adossado à torre da Igreja da Misericórdia. Situa-se em local desnivelado, acedendo-se à capela através de uma escadaria. Largo fronteiro dominado por chafariz de tanque curvilíneo e obelisco central (Fonte das Quatro Bicas), observando-se lateralmente o antigo Solar dos Botelhos (de fachada manuelina).
Utilização Actual: Cultual (Capela Mortuária).
Época de Construção: Séc. XII / XIII (suposição).
Alterações no séc. XVI.
Autor: João de Lorzelo (segundo a inscrição na fachada).
Cronologia:
Séc. XII/XIII - Provável construção do primitivo templo por João de Lorzelo, segundo a inscrição que apresenta na fachada principal.
1542 - Reedificação da capela por ordem de Aires Botelho, para seu filho Aires Botelho e seus descendentes. A capela pertencia ao Solar dos Botelhos.
Séc. XIX - Desafectação ao culto, foi posteriormente utilizada como armazém.
1950/1951; 1977 - Restauros na Capela pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais.
(cerca de) 1980 - A Capela passou a ser utilizada como capela mortuária.
2002 - Projecto de recuperação pela Arquitecta Mónica Rosado.
Tipologia: Arquitectura religiosa românica com alguns elementos manuelinos e moçárabes.

 

Monumentos 3

 

Igreja Matriz

Localização: Largo Dr. José Quelhas Bigotte.
Enquadramento: Urbano, isolado. Situa-se em local elevado (onde anteriormente se situava o Castelo de Seia), em largo pavimentado. Lateralmente ao edifício apresenta-se um pequeno jardim com uma fonte em forma de torre medieval e um monumento a Nossa Senhora de Fátima no centro.
Época de Construção: 1843 - 1896.
Cronologia:
1809 - A invasão francesa resulta na destruição da primitiva igreja, de origem românica.
1817 - D. João VI passa uma ordenação a João Tavares Leite para gerir os bens da Igreja Matriz [Anexo 1].
1843 - O Reitor José Luís Marrão e a Irmandade do Santíssimo Sacramento encomendam a edificação da Igreja Matriz, começando as obras nesse mesmo ano.
1876 - É colocado o relógio na torre esquerda.
1879 - É feito o retábulo da capela lateral esquerda, consagrado ao Santíssimo Sacramento e é adquirida a imagem do Sagrado Coração de Jesus.
1881 - Chega à Igreja Matriz a imagem do Sagrado Coração de Maria.
1883 - É adquirida a imagem de Nossa Senhora da Assunção.
1885 - O crucifixo de Nosso Senhor dos Aflitos é colocado na Igreja Matriz.
1896 - É concluída a segunda torre da igreja.
1945 - A capela lateral esquerda é consagrada a Nossa Senhora de Fátima.
1972 - A capela lateral direita é adaptada para capela baptismal.
1985 - São colocados os dois painéis de azulejos na Capela do Senhor dos Aflitos.
1996 - A Igreja Matriz é reaberta ao culto após restauro.
Tipologia: Arquitectura religiosa neoclássica com elementos decorativos de linguagem barroca.


Monumentos 4

 

Igreja da Misericórdia e Casa do Despacho

Localização: Largo da Misericórdia.
Enquadramento: Urbano, torre da Igreja quase adossada à Capela de São Pedro e Casa do Despacho adossada ao antigo solar da Família Miranda Brandão (actual Biblioteca Municipal). Situa-se em local desnivelado, acedendo-se ao templo através de escadaria. Largo fronteiro dominado por fontanário de tanque curvilíneo e obelisco (Fonte das Quatro Bicas).
Época de Construção: 1773.
Autor: Torre: Mestre Ferreira (de Pinhanços).
Casa do Despacho: Mestre José Ferreira (de Seia).
Cronologia:
Séc. XVI - provável construção da primitiva igreja
1773 - Construção da Igreja da Misericórdia
1816 - Construção da torre
1827/1828 - Construção da Casa do Despacho
1859/1861 - Substituição do tecto da Igreja da Misericórdia e pintura do escudo no mesmo.
(cerca de) 1968 - 1974 - reconstrução da Igreja da Misericórdia e modificação do desenho original das escadas e do trabalho de talha do interior, a partir de projecto do Arquitecto António Portugal (de 1967).
2000 - Restauro do trabalho de talha do interior da Igreja.
Tipologia: Arquitectura religiosa rococó, de características conformes à arquitectura regional. A torre apresenta uma inspiração já neoclássica.

 

Monumentos 5

 

Fonte da Casa das Obras

Localização: Largo Dr. António Borges Pires.
Enquadramento: Urbano, adossada ao muro que delimita o largo fronteiro à Casa das Obras (edifício da Câmara Municipal de Seia).
Época de Construção: 1778.
Cronologia:
1773 - Teresa Bernarda de Figueiredo Abranches e seu marido, o Desembargador Francisco José Pinto de Mendonça, deram início à construção da Casa das Obras.
1778 - Petição a D. Maria I para construção de uma fonte em frente da casa.
1911 - Venda do solar em hasta pública e aquisição por Francisco Rodrigues Gomes, natural da freguesia de Tourais.
1918 - A Câmara Municipal de Seia adquire o solar para a instalação dos seus serviços administrativos.
Tipologia: Arquitectura civil setecentista.


Fonte das Quatro Bicas

Localização: Largo da Misericórdia.
Enquadramento: Urbano, isolado. Situa-se em local desnivelado, no largo fronteiro à Igreja da Misericórdia (de fachada rococó) e ao antigo solar da família Miranda Brandão (Biblioteca Municipal de Seia), de construção oitocentista.
Época de Construção: 1825 (segundo a inscrição que ostenta no brasão de armas).
Cronologia:
1825 - O chafariz é colocado no Largo da Misericórdia.
1876 - A tubagem do chafariz é substituída por outra de ferro.
1957 (suposição) - A Fonte das Quatro Bicas é transportada para outro local do Largo da Misericórdia (menos central, em frente ao antigo solar da Família Miranda Brandão), em consequência do arranjo do Largo e da Praça da República.
Tipologia: Arquitectura civil com alguns elementos a destacar, nomeadamente o obelisco com o brasão de armas da vila de Seia.

     boletim artis

cineecoclimadapt

 

 

 

Desenvolvido por: Mixlife

Município de Seia - Largo Dr. António Borges Pires, 6270-494 Seia
Tel.: 238 310 230